Tratamentos com PRF ou Fibrina Leucocitária Autóloga

Tratamentos com PRF ou Fibrina Leucocitária Autóloga

Você já ouviu falar sobre a PRF? Bem, se você busca algo para reparar o colágeno e deixar a sua pele ainda mais bonita, essa pode ser a solução. Chamado de PRF (Fibrina Rica em Plaquetas) ou Fibrina Leucoplaquetária Autóloga, trata-se de um procedimento em que o próprio sangue do paciente é usado.

A PRF é muito segura por ser autólogo, ou seja, algo que é seu. Então, não leva conservantes ou aditivos químicos. É capaz de regenerar e reparar colágeno com precocidade. A técnica, que nos Estados Unidos ficou conhecida como Vampire Treatment, é simples e de custo acessível.

O material, ou seja, o sangue é obtido com a coleta de alguns tubos estéreis. A coleta é a vácuo. Em seguida, o sangue é centrifugado imediatamente, separando a parte líquida que nos interessa. Então, o paciente recebe a PRF através de pequenas injeções ou combinadas com o microagulhamento. Entretanto, o intuito é o mesmo: estimular colágeno. Mas associando as duas técnicas, os resultados são incríveis.

O microagulhamento, conhecido como derma roller, promove microperfurações na pele, estimulando essas lesões a liberarem mediadores químicos para atrair células-tronco e, consequente, a liberação dos fatores de crescimento, promovendo colágeno.

Quer saber mais sobre a PRF. Veja as principais dúvidas:

Quantas sessões serão necessárias?

Isso depende do seu grau de envelhecimento. Há casos de pacientes que necessitam de cinco sessões, por exemplo. No entanto, em boa parte dos casos, são necessárias três a quatro sessões, ocorrendo uma a cada mês. Como todo procedimento, esse também precisa de manutenção, que poderá acontecer após seis meses.

O procedimento é dolorido?

A PRF é bem tolerada quando usado anestésicos tópicos (pomadas), mas há pessoas mais sensíveis, que necessitam receber anestésicos locais. Não há necessidade de repouso. No dia do procedimento, o rosto fica avermelhado. Após alguns dias, a pele irá descamar.

Quais são os cuidados pós-procedimento?

Durante o tratamento não é recomendado tomar sol. O uso de filtro solar é indispensável.

Quem não pode fazer o tratamento?

Pessoas com distúrbios sanguíneos.

O sangue colhido para o procedimento pode ser armazenado?

Não. Para o procedimento, o sangue é colhido e usado rapidamente pelo curto tempo de trabalho.

Qual a principal vantagem da PRF?

Estimular colágeno, promover o espessamento epidérmico e melhorar a aparência clínica da pele, com redução visível das rugas. Isso acontece por meio do reparo e regeneração promovidos pelos fatores de crescimentos contidos na fibrina em fase líquida (fibrina leucoplaquetária autóloga).

O procedimento chamado PRP é a mesma coisa que PRF?
Não. Apenas os dois são derivados do sangue.
Essa é uma terapia celular?
Não. Terapia celular é quando usamos células-tronco. Por enquanto, a área da saúde só pode usar células-tronco de forma experimental (pesquisas). Entretanto, acredito que em breve a odontologia receberá autorização para o tratamento com células-tronco.

Essa terapia com sangue é uma terapia transfusional?

Não. A terapia transfusional, utilizada principalmente em hemofílicos, usa os concentrados de plaquetas e concentrados de hemácias. A odontologia usa apenas os agregados leucoplaquetários PRP e PRF.

Os resultados são visíveis na primeira sessão?

Não. É preciso um tempo para o reparo e regeneração de colágeno. A quantidade de sessões depende do planejamento.

Quais as áreas da face que podem receber esse tratamento?

Todas, incluindo os lábios.

Preciso de outros procedimentos além da PRF?

Na harmonização orofacial não existe um único tratamento. É preciso planejar para atender às necessidades estético-funcionais. Mas uma coisa eu te garanto: esse é um dos melhores tratamentos na harmonização orofacial. É uma revitalização da pele de dentro pra fora. É o que as pessoas chamam de “efeito luminoso” da pele ou, como referem aos lábios, um efeito “gloss”.

TOP